Vida Cristã

É hora de dar um passo de fé!

23 de May de 2018

No evangelho de Mateus temos o clássico exemplo da fé de Pedro. Ao ver Jesus andando sobre as águas, Pedro vai ao seu encontro. Ele sai do barco e anda sobre as águas, mas ao reparar no vento ficou com medo e começou a afundar. Jesus o salva, porém diz: “Homem de pequena fé, por que você duvidou?” A partir desta passagem já ouvi várias interpretações e conselhos ao redor do tema fé. O que me pergunto é: como ter fé? Como, ao contrário de Pedro, ter uma grande fé? Leio este texto e dois pontos ressaltam para mim. Primeiro: Pedro deu um passo de fé. Segundo: Pedro teve medo, por isso afundou.

A fé é uma jornada, começamos dando pequenos passos e com eles nossos medos vão se dissolvendo. Quando nem percebemos nossos passos estão cada vez maiores e os medos, menores.

É interessante, podemos passar uma vida caminhando com Deus sem nunca termos dado um passo de fé, seja ele grande ou pequeno. Muitas vezes falsamente “confiamos em Deus” para alguma situação em nossas vidas, mas lá no fundo, ao mesmo tempo que dizemos confiar, já temos um plano B, C e D feitos em nossa cabeça caso o primeiro plano não dê certo.

Em nosso contexto o plano A é o agir de Deus. O plano B é você e suas capacidades manuais, materiais, financeiras e completamente terrenas de fazer as coisas “darem certo”. Você pode ter diversas opções e caminhos pelo qual seguir, sonhos que deseja realizar e coisas para alcançar; e não há nada de errado em usar suas habilidades para atingir esses objetivos. Mas o motivo pelo qual escrevo este texto é para encorajá-lo a dar passos de fé, um caminho onde sua única opção é confiar e esperar pelo agir de Deus.

Mas do que uma simples forma de ver o agir dEle em sua vida, é uma forma de intimamente experienciá-lo e construir uma relação muito mais intensa com Ele. E isso não precisa ser vivido apenas em coisas grandes como quando você decide mudar de cidade ou país, nem mesmo apenas em momentos de adversidade ou quando passamos pelo deserto. Você pode experienciar essa confiança e dependência real em Deus em coisas pequenas do seu dia a dia, ou até mesmo em oportunidades criadas por você.

A verdade é que Ele já se move em nosso cotidiano e nós já dependemos dEle, só precisamos de atenção e sensibilidade para percebê-lo claramente.  E esse é o intuito de darmos passos de fé; para abrimos espaço para o sobrenatural dEle, com corações e ouvidos atentos para a Sua voz e o Seu mover.

SAIA DO BARCO

Hoje posso enumerar ocasiões em minha vida em que andei completamente em fé. Sem ter onde e nem em quem me apoiar, apenas confiando na visão de Cristo sobre as águas enquanto eu saia do barco – meu conforto e segurança. Grande parte dessas experiências aconteceram quando estava servindo em missões, tanto no interior do Amazonas ou na ilha de Madagascar. O lugar não importa, mas sim as situações em que me coloquei e para quem eu decidi olhar.

Mas por incrível que pareça, o mais difícil é vivenciar isso no nosso cotidiano. Em casa, no trabalho, faculdade, entre família, amigos… até mesmo dentro de você. Talvez por estarmos tão acostumados como as coisas são. Por conta da rotina e de nosso coração incrédulo, esquecemos de olhar para o comum e conhecido com olhos de fé.

 

UM PEQUENO GRANDE DESAFIO

Crie oportunidades! Abra espaço para o sobrenatural de Deus em sua vida. Você não precisa começar em coisas grandes, na verdade, lhe encorajo a começar pelas pequenas. Te desafio a dar um passo de fé! Tenha coragem, escolha um alvo e creia.

Você pode começar sua jornada dando seu primeiro passo de fé orando pela vida de alguém. Um amigo ou um parente que não conheça Jesus. Talvez aquela pessoa que você já conhece há anos e não vê nenhuma possibilidade de mudança. Dê um passo de fé em direção há um desejo que Deus tem colocado em seu coração e você não vê como ele pode ser real e possível. Talvez tenha algo dentro de você que grite por mudança e você não sabe nem por onde começar.

Lembre-se que o mesmo Deus que chamou Pedro para andar sobre as águas também anseia em ter experiências com você!

 

Vida Cristã

O que estou fazendo com a minha vida?

26 de March de 2018

Sem sombra de dúvidas a pergunta que mais passa na minha cabeça nos últimos meses é “O que estou fazendo com a minha vida?” A resposta é sempre a mesma: eu não faço mais a menor ideia. O engraçado é que há dois ou três anos atrás eu sabia de tudo, estava tudo calculado e planejado. O meu objetivo era simples –  ser a melhor profissional que poderia ser. Com isso, consequentemente, teria uma vida estabilizada e orçamento livre para as futilidades básicas de uma jovem brasileira. compras-saída-com-amigos-netflix-viagens de vez em quando

Mesmo com isso muito claro, nunca me conformei com as etapas básicas da vida contemporânea de: nascer > estudar > trabalhar > casar > ter filhos > me aposentar > morrer.  Queria algo mais; algo que fizesse minha vida valer a pena. Mais do que isso, também sempre tive uma alma justiceira, uma mente acelerada, pensamentos que não encontram fim… pelo menos conseguia uma certa paz consumindo entretenimento e me ocupando com essas coisas. Será que isso é suficiente? Sem contar com acidentes e imprevistos, tenho pelo menos ainda 50 anos de vida. Será que é dessa forma mesmo que quero gastar estes anos?

Às vezes sinto algo sobrenatural; um desejo gigante de fazer algo que importa, que mudará a vida das pessoas de verdade. Sinto uma certa urgência. Lá no fundo da minha consciência eu sei o que quero fazer com a minha vida. No último ano estive em lugares que só visitava em meus sonhos, conheci realidades que nem sabia que existiam. E me vi fazendo o que, naquele momento, tive a certeza que era a razão pela qual estou neste mundo. Quando estava em um orfanato em Moçambique conheci crianças muito lindas, bem cuidadas por um casal de brasileiros maravilhosos que passaram cerca de duas décadas construindo uma espécie de Nárnia no meio de um país econômica e politicamente turbulento. Vi algo semelhante em Madagascar, em um centro de resgate à crianças em situações de risco. Em apenas duas horas lá vi cerca de 70 crianças sendo alimentadas, suas famílias recebendo diferentes tipos de auxílio e principalmente recebendo amor, se sentindo cuidadas.

Não quero ser prepotente e dar a entender que com 24 anos sou capaz de escolher o que fazer com o resto de minha vida e nunca mais olhar pra trás. Até porque o mais divertido da vida é sua imprevisibilidade e a capacidade que temos de dar a ela novos rumos sempre que quisermos, não é mesmo?

Não sei como ou quando isso começou, mas eu percebi que tinha muito medo da vida. Medo de errar, de olhar pra trás e me arrepender de ter feito ou não algo. Queria sempre acertar, então tinha medo de tomar decisões. Comecei a questionar Deus a respeito dessas coisas. Hoje em dia temos tantas opções, tantos caminhos para seguir. É melhor ficar no lugar seguro ou me arriscar em algo novo, fora dos padrões normais? Por quê Deus não me fala logo o que tenho que fazer?

Eu, como cristã, tenho o privilégio de crer que a vida é muito mais do que podermos ver e prever. E, aos poucos, aprendo a me desprender do curso normal da vida. Não é fácil, mas atualmente é a única coisa que tem feito sentido pra mim. É uma visão romântica dizer que quero abdicar de minha vida e meus sonhos a fim de ajudar  o próximo, a verdade é que sinto que só assim faço minha existência valer algo. E mesmo sabendo disso, ainda é difícil.

Confiar

Em Provérbios 16.9 diz “Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos.”  É muito claro, não é? Nós podemos planejar tudo, mas no fim o Senhor é que irá determinar nossos passos. Por quê me preocupar tanto? Por quê tanta pressa? Tanto medo? Se serve como um incentivo, o que acabo de decidir é confiar, descansar… me fazer disponível para Deus e estar tão próxima dEle para que eu saiba que cada passo que darei, não será só o meu, mas dEle também.

Não sei exatamente o que Deus quer de mim, apenas sei que é algo bem maior do que aquilo que eu queria para mim mesma. Sigo orando, esperando e crendo nos planos dEle para mim.